Pesquisar no site

Loading...

Ciência na Bíblia


É comum simpatizantes da Bíblia alegarem que esta foi divinamente inspirada por prever teorias científicas com milênios de antecedência. Seria isso veraz? Vejamos o que os autores bíblicos pensavam acerca de alguns assuntos hoje bem compreendidos através do método científico.

A Forma Redonda da Terra e a Estrutura do Céu

A Terra na concepção bíblica:
Plana e circular.
Segundo alguns apologistas cristãos, um texto do livro de Isaías mostra que a Bíblia já dizia que a Terra era redonda milênios antes de Galileu, Magalhães e Colombo. Entretanto uma leitura atenta revela que Isaías descreve apenas o pensamento predominante até o fim da Idade Média, que a Terra era circular, não redonda: “E ele o que está assentado sobre o círculo da terra...” (Isaías 40.22). As formas geométricas círculo e esfera são facilmente confundidas no meio popular. Círculos são planos, não redondos. Não era de se admirar que os navegadores antigos e medievais tivessem medo de cair em precipícios na borda da Terra (ver figura).

Outros textos interpretados equivocadamente sobre a forma da Terra são encontrados nos livros de Jó e Amós. A confusão é acerca da palavra "abóbada" que nada mais é do que uma construção arquitetônica muito comum nos tempos bíblicos que consistia de uma cobertura feita de tijolos com forma arredondada. O problema é que estes autores se referem ao céu, não à Terra: “ele passeia em volta da abóbada do céu” (Jó 22.14), “Ele é o que edifica as suas câmaras no céu, e funda sobre a terra a sua abóbada” (Amós 9.6). Quanto ao texto de Jó não há dúvida alguma, mas alguns religiosos tentam forçar o texto de Amós dizendo que a expressão “sua abóbada” refere-se à Terra, porém não é difícil perceber que ele estava dizendo que a abóbada celeste tinha fundações, ou seja, alicerces sobre a Terra como uma construção humana, da mesma forma que o autor de Jó acreditava: “As colunas do céu tremem...” (Jó 26.11).

Curiosidade: Há registros de que era comum o desabamento de prédios construídos no império romano devido à fragilidade do concreto da época. Talvez esse problema não fosse somente dos romanos. Construir uma abóbada era um risco e algumas teriam caído sobre a cabeça de muita gente nos tempos bíblicos, porque naquela época ainda não se utilizava aço para reforçar o concreto. Os antigos denominavam o céu de "firmamento", ou seja, imaginavam uma abóbada firme construída por Deus que não cairia sobre os habitantes da Terra: “Acaso podes, como ele, estender o firmamento, que é sólido como um espelho fundido?” (Jó 37.18). Graças à Ciência, hoje sabemos que a Terra é esférica e o céu não é sólido, mas um espaço extenso contendo matéria e energia.

A Gravitação Terrestre

Segundo o livro de Jó, a Terra está suspensa no nada (Jó 26.7), entretanto esta é uma visão mimeticamente correta embasada num raciocínio errado de seu tempo, onde a Terra era similar a um disco cujo norte estava suspenso sobre o nada e o restante flutuava sobre o mar (Jó 26.7a, Salmo 24.1-2 e Salmo 136.6). Um palpite que pouco ou nada tem a ver com o que a Ciência nos revela hoje: um globo gravitando ao redor do Sol como uma parte minúscula de um Universo vasto de constelações e galáxias muito maiores. E o que dizer do autor de I Samuel que acreditava numa Terra sustentada por colunas (I Samuel 2.8)? Contradições assim são comuns na Bíblia e sempre que uma das alternativas assemelha-se a algum fato real, os erros decorrentes das opiniões restantes são ignorados.

A Proporção Entre o Perímetro e o Diâmetro de um Círculo (Pi)

Segundo o autor de I Reis, esmerados artífices haviam construído uma estrutura no tabernáculo erigido a Deus cuja forma era de um círculo "perfeito" com 30 côvados de circunferência e 10 côvados de diâmetro (conferir I Reis 7.23), o que fornece uma constante proporcional adimensional de valor "3", hoje conhecida como "Pi", que é a razão do perímetro pelo diâmetro do círculo. Embora o autor em questão não se refira diretamente a essa proporção, nota-se o quanto era orgulhoso da capacidade intelectual e destreza de seu povo de forma que fez questão de registrar dimensões geométricas interdependentes do círculo como prova dessa sabedoria. Porém, levando-se em consideração as aplicações científicas, as quais necessitam de, pelo menos, 100 vezes mais precisão, este círculo bíblico não pode ser considerado perfeito, pois, se seu perímetro era de 30 côvados, seria necessário que seu diâmetro fosse de 9,55 côvados, ou se seu diâmetro fosse 10, seu perímetro deveria ser de 31,40 côvados. A proporção descrita pelo autor bíblico é um erro percentualmente alto, mesmo para a arquitetura de povos da época como o grego e o romano. Com 1000 anos de antecipação ao texto bíblico em questão, os egípcios, sem inspiração divina, já haviam registrado no Papiro de Rhind essa proporção aproximada, Pi = 3. Provavelmente o autor de I Reis tenha ficado impressionado com este conhecimento adquirido pelo seu povo durante o cativeiro no Egito e o tenha inserido em seu livro, que hoje compõe a Bíblia.

Curiosidade: Já em 250 a.C., o filósofo grego Arquimedes havia chegado a uma precisão de 3 casas decimais para o Pi (3,141). Em 1596 o matemático alemão Ludolph van Ceulen chegou à precisão de 35 casas decimais. Recentemente, em 2011, Shigeru Kondo e Alexander Yee chegaram à precisão de 10.000.000.000.000 x 1018 casas decimais.

A Classificação do Morcego

Morcego - Ave ou mamífero?
O autor de Levítico classificava o morcego como ave: “Dentre as aves, a estas abominareis (...) a cegonha, a garça segundo a sua espécie, a poupa e o morcego” (Levítico 11.13-19). De fato os morcegos são mamíferos adaptados ao voo, estudos morfológicos e do DNA revelam isso. Mesmo uma análise leiga de características como orelhas, pelos, dedos nas asas, dentes, órgão genital masculino externo, focinho, mamas, entre muitas outras inexistentes em aves, seriam suficientes para julgar o morcego como um mamífero. Mas deve-se dar um desconto, pois nos tempos bíblicos praticamente tudo o que voava era considerado ave e o autor bíblico apenas registrava o limitado conhecimento de seu tempo.

O Número de Pés dos Insetos

Insetos possuem 6 pernas
Segundo a Bíblia há insetos de quatro pés: “Todos os insetos alados que andam sobre quatro pés, serão para vós uma abominação” (Levítico 11.20). Se no passado bíblico havia algum animal parecido com inseto e tinha apenas 4 pés, não era inseto, pois os insetos possuem 6 pés. Da mesma forma animais de 8 pés como aranhas, carrapatos e escorpiões, são aracnídeos, não insetos. Estas classificações não são caprichos da Ciência, mas uma necessidade. No combate à pragas, por exemplo, estes animais não respondem da mesma forma aos diversos produtos químicos de extermínio porque tiveram linhas de evolução diferentes.

A Ordem de Criação das Plantas e do Sol

Segundo a Bíblia as plantas foram criadas antes do Sol (Gênesis 1.11-14). Porém as investigações científicas revelam que o Sol e a Terra foram formados simultaneamente há 4.6 bilhões de anos e somente 4 bilhões de anos depois surgiram os primeiros vegetais. Outro fato que torna sem sentido a ordem bíblica é que a fotossíntese, essencial para as plantas, não é ativada pela luz das estrelas ou lunar (que na verdade é a luz solar refletida), mas somente pela luz do Sol ou artificial com potência suficiente.

A Origem do Arco-íris

O arco-íris é um fenômeno mais recente que a civilização conforme Gênesis 09.13-16. Este fenômeno é consequência da difração da luz solar quando atravessa gotículas de água suspensas na atmosfera. Segundo as leis da física e constituição da atmosfera terrestre atual, o arco-íris precede o homem em milhões de anos. Estudos sobre o gelo da Groenlândia, do pólo norte e Antártica, provam que nossa atmosfera é a mesma há pelo menos 800 mil anos, já o gênero Homo Sapiens surgiu há 120 mil anos e as mais antigas civilizações há apenas 5 mil anos.

Os Terremotos

Segundo Salmos 104.5 e I Crônicas 16.30 a Terra foi estabelecida por Deus de tal forma que nunca sofreria terremoto: “Lançaste os fundamentos da Terra, para que ela não fosse abalada em tempo algum” (Salmo 104.5). Provavelmente estes autores bíblicos viviam distantes de regiões com sismos. Porém muitos séculos depois os autores do Novo Testamento já admitiam a possibilidade de terremotos porque tinham conhecimento deste fenômeno em outras áreas do planeta como, por exemplo, na Itália, a qual se localiza próximo à falhas tectônicas.

O Órgão do Pensamento

Coração - Órgão que formula a
imaginação e os pensamentos
segundo a Bíblia
Segundo a Bíblia o coração é o órgão responsável pelos pensamentos: “Viu o Senhor que era grande a maldade do homem na terra, e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era má continuamente” (Gênesis 6.5). Outros textos encontrados em Salmos, Deuteronômio, Mateus e Hebreus confirmam a mesma crença. Até Jesus, que segundo o cristianismo era Deus, acreditava que o coração era responsável pelos pensamentos: “Porque do coração procedem os maus pensamentos, homicídios, adultérios...” (Mateus 15.19). Pessoas com coração transplantado são apenas uma das provas de que o cérebro, não o coração, é o responsável pelos pensamentos assim como pelos sentimentos.

Reflexão

Na Grécia antiga muitos filósofos fizeram previsões aparentemente inconcebíveis para sua época. Platão (427-347 a.C.) suspeitava que os animais evoluíam muito antes de Charles Darwin formular a teoria da evolução. Demócrito (400 a.C.) imaginava que a matéria era composta de átomos milênios antes dos eficientes modelos atômicos de Rutherford e Niels Bohr do início do século XX. Aristarco (310-230 a.C.) formulou uma teoria heliocêntrica 1600 anos antes de Copérnico propor o mesmo e ser cassado pelo cristianismo. Mais recentemente, antes do advento das transmissões de Rádio, TV, Celular e Internet, James Maxwell previu as ondas eletromagnéticas. Em 1927 Georges Lemaitre previu matematicamente a frequência de background (uma das provas da explosão do átomo primordial que deu origem ao Universo), a qual só foi detectada em 1965 pelo primeiro radiotelescópio. Einstein previu os buracos negros e a distorção do tempo-espaço; Paul Dirac previu a antimatéria e Peter Higgs, a partícula que dá massa às demais. Estes são apenas alguns exemplos de previsões com alto grau de precisão fora do âmbito religioso. Aliás, previsões reais são naturais e necessárias à Ciência produzida principalmente por céticos. Mesmo sendo precisos nenhum desses homens arrogaram ter sido inspirados por quaisquer deuses, como os escritores bíblicos fazem com suas previsões tímidas e, em sua maioria, incorretas. Se algumas aproximações sobre o funcionamento da Natureza são consideradas indícios da inspiração divina da Bíblia, os muitos erros crassos contidos nela provam que é uma obra literária puramente humana. Porém, nada mais natural do que uma Bíblia contendo erros e contradições tendo sido compilada por mais de quarenta autores primitivos e ignorantes separados por continentes e séculos de distância.

No mundo antigo e medieval tudo o que os autores bíblicos ensinavam sobre a vida humana e o mundo que nos cerca estava literalmente correto. Com o avanço da Ciência moderna  a qual, por mérito, substituiu o artesanato e a Religião como autoridades máximas do ensino  os teólogos e líderes cristãos mudaram seus discursos afirmando que os textos bíblicos que discordam da Ciência são metáforas e os que concordam permanecem literais. Se é este o caminho de defesa escolhido pela Igreja, seu fim será trágico, pois falta pouco para que toda a Bíblia se torne uma metáfora e a religião cristã entre para o hall da mitologia universal, tomando o seu verdadeiro lugar ao lado das mitologias grega, suméria e egípcia nos livros do ensino público regular. Sábio aquele que tem humildade para reconhecer que a Bíblia não é um livro de cunho científico a fim de defender sua fé.

Ver também Algumas Questões Para os Cristãos e Contradições Bíblicas.

22 comments:

  1. Replies
    1. Bem, um cientista japones muito respeitado disse uma verdade que preocupou seus colegas, falou que sim existe um deus que criou todas as leis da fisica. Opinião minha jesus falava a pessoas com o intelecto baixo, ou seja ele na maioria das situaçöes baixava seu nivel intelectual divino para que compreendessem suas palavras, e quando aumentava seu nivel todos se admiravam com o casa da frase "aquele que não tem pecados atire a primeira pedra", abrços

      Delete
  2. Parabéns, meu nobre!
    Sempre manda muito bem.
    Sei que não é bom ver isso, seria mais gostoso se viesse um religioso fanático tentar dizer o contrário, mas fica meus parabéns para ti.

    PS - Estou com um projeto já funcionando, o Atheist College, no endereço: http://atheistcollege.ning.com/
    Trata-se de uma rede social focada no ateísmo.
    Caso queira parceria com esse projeto tbm, favor confirmar comigo. E convido-te a fazer um perfil lá no Atheist College

    Desde já agradeço
    Fabenrik
    ateu e atoa

    ReplyDelete
  3. Oi, querido tudo bem? Seguinte: Deus respeita épocas e tempos, assim como respeita a ignorância das pessoas... ignorância no sentido do "não-saber" mesmo... potanto, creio eu, que a Bíblia chama morcego de ave e não de mamífero pois se chamesse de mamífero naquela época seria demais para as pobres cabecinhas dos mortais... é só contextualizar a Bíblia, afinal, ela parou de ser escrita. Precisa ser CONTEXTUALIZADA. bjkas!!!

    ReplyDelete
  4. A bíblia sempre distorceu a realidade, mas para quem é cego e fanático nunca vai enxergar isso. Sempre foi uma idéia estática, parada, sem evolução nem mudança alguma. Na idéia bíblica não se erra e quem discordar "Vai pro inferno".

    ReplyDelete
  5. @ThiSCarvalho10:07 AM

    Os crentes tem a biblia por sua verdade absoluta e tornam-se segos, por seu fanatismo. A biblia deve ser o livro mais manipulado ( no sentido de adulterado) de todos os tempos. um livro de escravidão mental das pessoas das pessoas através do medo de ir para o inferno. Principalmente d crentes cegos e hipocritas que aprontam a vida inteira depois querem vir dar uma de santinhos e culpar os ateus por suas babaquices... a biblia é um livro de escravidão mental e psicologica.

    ReplyDelete
  6. Para interpretar a gibiblia é necessário ter o dom, o dom de tentar adaptar a realidade às suas expectativas, geralmente envolta em névoas e mistérios ditos "divinos". Não me admira que os juDEUS tenham concebido o monstro invisivel judeu há milhares de anos, impressiona-me mais o esforço patético de mentes contemporâneas de manter tal mentira de pé, um esforço voltado para a interpretação equivocada da realidade, onde advogados do deus invisivel estão mais preocupados em defender seu cliente do que firmar compromisso com a realidade. CARLOS QUEVEDO

    ReplyDelete
  7. Me digam se o morcego não mamar-se o que eles seriam?

    ReplyDelete
    Replies
    1. Caçador de asnos4:22 PM

      mamar-se???? depois os crentes reclamam quando os chamamos de burros... caral Rub! Tu és burro assim mesmo ou tá de sacanagem?.... hauhauahauahauahauahau

      Delete
  8. O seu caral também não está correto. Você criticou mais não respondeu a pergunta ou você não sabe?

    ReplyDelete
  9. Eu poderia responder a muitas questões aqui apresentadas,mas vou só deixar o versiculo ao qual se trata 1 Samuel 2.8,e me digam se interpretam ele como foi apresentado no texto acima.

    "O Senhor empobrece e inrequece,abixa e exalta.
    Levanta o pobre do pó e,desde o monturo,exalta o necessitado,para o fazer herdar o trono da glória;por que do Senhor são as colunas da terra,e assentou sobre elas o mundo."

    Acho que não precisa nem dizer que a terra,a qual o versículo se refere não é a Terra,o planeta em que vivemos.
    -Ele diz que erguerá o homem do pó e o sentará no trono da glória,por que é do Senhor as sustentações da terra,a qual ergueu o mundo.
    Ele versículo resume bem o que Deus fez com Davi,fazendo de um pastor de ovelhas um Rei.

    Pra mim ta mais que claro que as incoerências vem mais daqueles que lêem a Biblia ,do que dela mesmo.

    ReplyDelete
  10. "Sábio é aquele que tem a humildade de reconhecer que a Bíblia não é um livro de cunho científico afim de defender a sua fé." Sábias palavras! Faço coro!

    ReplyDelete
  11. Orlando-BA7:36 AM

    Faz um tempo que não visito seu blog e devo admitir que houve grande avanço assim como na ciência. Raciocínios perfeitos e irrefutáveis! Meus parabens Alexander!

    ReplyDelete
  12. As minhas humildes considerações a respeito dos tópicos 2 e 8:

    Se é que a estrutura existiu, quem com intenção de fazer um círculo perfeito não notaria tal deformação. É provável que o autor tenha dado medidas aproximadas e inteiras, por estimativa, por se poupar da precisão ao medir ou por tomar de outrem informação já errada.

    Quando sentimos certas angústias, por exemplo, por perder uma namorada, a sensação ruim, o aperto, parece realmente vir do coração. Não é de se admirar colocações dessa forma na Bíblia. Ou Cristo realmente acreditava que os pensamentos vinham do coração ou se expressou figurativamente, uma vez que o coração aí poderia representar os nossos desejos. Até hoje soa natural a frase “A boca fala do que o coração está cheio”.

    ReplyDelete
  13. Amigo vc sabe quado o termo esférico na geometria surgiu? aliás a geometria em si, não foi no século IV AC? ... e subsequentemente a geometria esférica nao euclideana foi aperfeiçoada nos séculos seguintes,não seria razoavel , sendo que na bíblia a linguagem é poética e a intenção da mesma não épassar esse conhecimento que ele passou muito perto de descrever a terra como nós a conhecemos?

    ReplyDelete
  14. Deus criou a luz primeiro. Não importa se era o sol, mas a fonte de energia para as plantas já existia.

    ReplyDelete
  15. Deus criou a luz primeiro. Não importa se era o sol, mas a fonte de energia para as plantas já existia.

    ReplyDelete
  16. Anonymous4:30 PM

    vou nem perder meu tempo

    ReplyDelete
  17. Todos nos temos o direito de crermos no que quisermos,ou ate mesmo nao crermos em nada,fundamentados ou nao.Na minha ignorancia,creio que exista um criador.sustento essa ideia,partindo de um simples principio:Tudo que existe foi criado por alguem;logo,para que algo possa existir,e necessario que haja quem o crie.Nao acredito que a criaçao seja obra do acaso;chego a essa conclusao,devido a complexidade e perfeiçao que envolvem o nosso planeta e toda sua composiçao.no "acaso"nao ha perfeiçao,ou ha?Simples assim.

    ReplyDelete
  18. Diante destas afirmações sobre a Bíblia e a Ciência, eu como leigo, gostaria de receber ou que fosse postado neste mesmo site, todos registros dos experimentos científicos que foram realizados, com comprovação científica, a respeito de tudo que consta neste texto. Particularmente entendo que a ciência necessita de fé para ser comprovada, porque todos cientistas se lançam onde ninguém conhece e buscam a vida toda provar ou tentar provar aquilo que ainda não conhecemos. Outra nota que destaco é que o texto é um pouco tendencioso por tentar interpretar de forma literal alguns textos desconsiderando o sentido mais profundo que o autor se expressa. Mas é sempre bom ler postagens interessantes e intrigantes como esta. Parabéns!

    ReplyDelete
  19. Na biblia nao esta escrito "ele éo q se assenta sobre o CIRCILO da terra" e sim "ele éo q se assenta sobre o GLOBO da terra" acho q a bibli de vcs ta bem errada.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Atílio8:19 PM

      A palavra hebraica usada nesta passagem é CHUWG e realmente significa CÍRCULO.

      Delete

Comentários anônimos, pregações, palavras de baixo calão, ofensas pessoais, práticas de trollagem, rotulações e argumentos ad hominem serão excluídos.